Você conhece a acreditação hospitalar? Trata-se de um processo tanto de autoavaliação quanto de avaliação externa, realizado por referências na área, isto é, gestores ou médicos especializados em gestão hospitalizar.

Sua finalidade é avaliar as organizações de saúde com a maior precisão possível, mensurando o seu desempenho em relação às expectativas dos pacientes, investidores e agências reguladoras.

Para isso, todos os processos administrativos e técnicos são comparados aos padrões de excelência internacional. Se aprovados, recebem um certificado que confere grande reputação, se forem reprovados, recebem uma série de dicas para atingir melhores resultados.

Essa é uma forma de certificação de qualidade específica para os hospitais (como a avaliação ISO), que confere grande confiabilidade a empresas de outros ramos. Por isso mesmo, 88% de todos os hospitais americanos já se submeteram a algum tipo de acreditação.

No post de hoje, veremos com mais detalhes como se dá esse processo. Interessado? Continue lendo para conferir como é possível aprimorar constantemente os seus resultados!

Quais são os propósitos da acreditação?

São várias as dimensões que podem ser analisadas durante o processo de acreditação. Entre elas, destacamos as principais a seguir.

Melhorar a segurança

Busca-se saber se o corpo técnico realiza procedimentos que estão de acordo com diretrizes reconhecidas nacional e internacionalmente, validadas pela comunidade científica. Isso evita diversos processos judiciais, pois mostra que os médicos estão seguindo os padrões mundiais de tratamento eficaz. Além disso, avaliam-se as medidas para evitar infecções hospitalares e erros médicos.

Garantir a qualidade

Acreditação também verifica se os processos de atendimento e comunicação médica são capazes de deixar o paciente satisfeito com o tratamento. Além disso, confere se as tecnologias e os treinamentos realizados são adequados.

Reduzir os erros médicos

A acreditação confere ainda se o hospital tem protocolos de procedimentos rígidos para os profissionais orientarem a sua conduta e evitar o erro médico. Além disso, verifica se há protocolos para correção rápida dessas intercorrências. Por meio de tudo isso, a acreditação hospitalar visa a manutenção da segurança do paciente em uma análise objetiva e independente.

Melhorar a administração

O processo de acreditação incentiva a organização de saúde a permanecer sempre atualizada. Para, a partir disso, estar sempre preparada para alcançar e manter resultados satisfatórios.

De acordo com o manual da ONA (Organização Nacional de Acreditação), é indispensável adotar uma metodologia didática com abrangência de todos os cargos da instituição. Assim, as metas e objetivos que a empresa deseja atingir ficam mais nítidos, de modo a unificar a força de trabalho e facilitar a acreditação.

Aprimorar procedimentos

A acreditação também serve para auxiliar no desenvolvimento de uma logística de informações. Afinal, são infinitos dados gerados ao longo de cada processo interno de uma unidade. Com isso, é fundamental analisar criticamente cada documento registrado. Todas as evidências de melhorias ao longo desses processos estarão também evidenciadas ali por meio da acreditação.

Quais são os tipos de acreditação?

De modo geral, existem dois tipos de acreditação hospitalar:

  • ​nacional — ocorre por empresas do próprio país-sede do hospital e, geralmente, só tem valor regional;
  • acreditação internacional de saúde — é feita por órgãos independentes, reconhecidos internacionalmente e fiscalizados pelos mais importantes hospitais do mundo.

Vale a pena analisar o cenário em que a sua instituição atua para definir se uma ou ambas são mais interessantes de se apresentar. Quanto maior o cumprimento das delegações de uma acreditação, melhor será o desempenho de sua instituição, então estar em conformidade com os dois tipos pode ser muito mais vantajoso.

Qual é a diferença entre certificação e acreditação hospitalar?

A acreditação hospitalar é uma das ferramentas mais importantes quando se trata de estabilizar perspectivas em um estabelecimento de saúde. Trata-se de um processo por meio do qual um órgão, ou instituição, confere a competência técnica de uma empresa para executar determinados serviços ou ministrar produtos. Com isso, garantem eficiência em meios de gestão e trazem referências seguras para que exista um processo contínuo de melhorias.

A certificação, em contrapartida, consiste em um expediente por meio do qual uma terceira parte assegura por escrito que um procedimento, produto ou serviço atende aos requisitos disciplinados para ele. Para ficar mais claro, a certificação é uma forma de avaliar a conformidade, enquanto a acreditação reconhece a competência técnica para exercer as formas de avaliação da conformidade. Desse modo, é mais correto afirmar que elas são complementares.

Na prática, como essa diferença pode ser aplicada?

Quando uma empresa conquista sua certificação, isso quer dizer que ela passou por uma vistoria. Ela, por sua vez, atesta em um registro por escrito a qualidade de seus processos e sistemas de qualidade, para confirmar que eles preenchem todos os requisitos. A organização que emite o certificado é quem determina quais procedimentos são avaliados e quais ficam de fora.

Já na acreditação hospitalar, há uma relação entre comunidades técnicas, científica e ambulatorial. A partir disso, seu objetivo é mais direcionado para o teor técnico. Entretanto, as leis também interferem na otimização de gestão de laboratórios. Sendo assim, os auditores têm experiência na área e conhecem procedimentos laboratoriais, ao contrário da certificação.

Por fim, vale lembrar que o objetivo de avaliação também reforça a diferença entre acreditação hospitalar e certificação. Na segunda, a própria empresa tem autonomia para essa definição, e na primeira, ele é determinado pela Norma de Acreditação.

Por que obtê-la?

A acreditação hospitalar apresenta três níveis importantes. O nível 1 significa que a instituição atende ao princípio de “segurança do paciente”.

nível 2 quer dizer que, além de cumprir o nível anterior, a instituição também conta com gestão integrada. Ou seja, acompanha e envolve as barreiras de segurança definidas em seus processos, desde propostas internas até protocolos implantados.

nível 3, que representa excelência em gestão, confirma os requisitos dos outros 2 níveis e ainda reafirma dinâmica, acompanhamento e busca constante por melhorias.

No dia a dia de uma instituição de saúde, esses níveis provam que alguns padrões e rotinas definidos internacionalmente são acatados no estabelecimento. Por exemplo, um simples ato de lavar as mãos antes de um procedimento diminui os índices de infecção hospitalar e, dessa forma, assegura a integridade do paciente. Ele pode até mesmo diminuir seu tempo de internação por causa disso.

A população, por sua vez, tende a escolher uma unidade de saúde justamente por fatores como a segurança. Solucionar seu problema, mostrando confiabilidade e a certeza de que tudo dará certo, é a coisa mais importante para os pacientes. A instituição de saúde que segue esses parâmetros estarão em alta estima, pois seus procedimentos serão cumpridos com rapidez, segurança e conforme protocolos que evitam atrasos, contaminação e falhas.

Uma instituição que apresenta selo de acreditação, enfim, tem um serviço diferenciado, em que a qualidade e a segurança estão sempre em primeiro lugar, e ainda consegue colher bons frutos disso, visto que não há despesas ou transtornos com práticas erradas. Ser acreditado é agir de acordo com uma padronização que coloca sempre a saúde à frente de qualquer outra coisa.

Quais são os órgãos acreditadores?

Para entender melhor ainda os processos da acreditação hospitalar, é interessante conhecer mais a fundo os órgãos acreditadores e suas especificidades. Aqui está uma lista com os principais, inclusive a nível internacional.

Organização Nacional de Acreditação (ONA)

Considerada uma das principais acreditadoras no Brasil, a ONA observa medidas como maximização da segurança, processos de melhoria contínua da qualidade, gestão eficiente e transparente e até a valorização da marca. Assim, ser ratificado por ela significa um alto nível de qualidade de serviços de saúde, com grande foco na segurança do paciente.

Joint Commission International (JCI)

Essa é uma das principais acreditadoras internacionais, principalmente nos Estados Unidos. Por isso, a maioria dos hospitais brasileiros — como o Hospital das Clínicas da UFMG — estão em processo para obter sua acreditação. Ela contempla desde o cuidado com os pacientes e a equipe médica até os processos de gestão, passando pela importante questão da infecção hospitalar.

National Integrated Accreditation for Healthcare Organizations (NIAHO)

A NIAHO é uma acreditação norte-americana voltada, especificamente, para a otimização dos resultados dos hospitais. Seu foco é a segurança do paciente e a gestão estratégica. Ela tem bastante credibilidade no Brasil, visto que são os próprios auditores americanos que realizam todo o processo.

QMentum

Voltado para o mundo globalizado, esse programa de acreditação canadense tem suas normas traduzidas em vários idiomas. Por isso, é reconhecido mundialmente e muito utilizado no Brasil, sendo voltado para otimização da qualidade do serviço ao paciente e da biossegurança.

A avaliação institucional realizada durante o processo de acreditação hospitalar contribui com o desenvolvimento da qualidade hospitalar e a segurança do atendimento aos pacientes. Naturalmente, a era digital pode ser uma grande aliada nesse aspecto.

Como vimos, o sistema integrado de gestão empresarial, a plataforma de agendamento de cirurgias e o prontuário eletrônico são algumas, de tantas outras tecnologias, que permitem aos gestores um maior controle dos seus processos.

Quais são os desafios resultantes da acreditação hospitalar?

O processo de acreditação pode ser um pouco desgastante para a equipe. Porém, de forma alguma esse é o objetivo real desse sistema. Pelo contrário, o resultado positivo depende totalmente de um esforço coletivo, que deve ser coordenado de maneira igualitária e adequada.

Somente dessa forma a equipe conseguirá se manter preparada para perceber problemas e buscar soluções. Os gestores, por sua vez, devem assumir esse compromisso para que a responsabilidade não interfira na produtividade e na saúde mental dos envolvidos. Do contrário, a acreditação pode não ser obtida e a qualidade da instituição decairá aos poucos.

Como resultado, o atendimento melhora, bem como a motivação do time. A acreditação hospitalar entra em cena também para que a instituição tenha sempre o hábito de se aperfeiçoar, de se preocupar com detalhes e de fazer tudo com agilidade. O bem-estar no ambiente será, então, uma garantia para todos.

Pensando nisso, a Intelectah desenvolveu uma plataforma especializada para gestão de cirurgias, com direito à solicitação direta do médico, da equipe de agendamento e dos gestores. Tudo para garantir mais praticidade e velocidade em apenas alguns cliques.

Acha que podemos ajudar? Entre em contato conosco para conhecer de perto nossa solução e descobrir o que mais podemos oferecer para você.

Powered by Rock Convert