É bem improvável que, em meio a situação pandêmica, hospitais consigam escapar das implicações produtivas e financeiras relacionadas aos centros cirúrgicos. A situação atípica, estimula reflexões de como os gestores podem tomar decisões e conduzir as práticas  de forma a minimizar os impactos negativos. Diante da situação, compartilharmos 7 DICAS que podem contribuir para o seu centro cirúrgico:

1. Transferir cirurgias ao invés de cancelá-las

O cancelamento de cirurgias, implica em reiniciar todo o processo de autorização, ou seja, um tramite que, dependendo da operadora, pode levar até 21 dias para que seja concluído. Por isso, ao invés de cancelar, é fundamental que o hospital realize apenas transferências, quando o motivo estiver relacionado a Covid-19.

2. Manter guias atualizadas

Um outro plano de ação que pode ser implementando na gestão de cirurgias, é a renovação da senha de autorização, junto a operadora. Com a medida, é possível garantir a validade da senha, agilizando a realização da cirurgia após a crise. O propósito é permitir que o tempo de espera para autorização não seja uma barreira e o procedimento seja realizado o mais breve possível.

3. Adotar uma plataforma digital para relacionamento do médico com hospital

Aderir uma plataforma de agendamento inteligente de cirurgias é ter a tecnologia como uma grande aliada para um bom relacionamento com os médicos e sucesso da gestão do centro cirúrgico. Com a solução, os cirurgiões conseguem fazer o acompanhamento dos pedidos, das movimentações essenciais para este momento de crise, como as transferências, bem como, de maneira rápida e prática, realizar os reagendamentos na retomada da execução dos procedimentos.

Além de oferecer praticidade e mobilidade aos cirurgiões, a ferramenta on-line, possibilita que a equipe de agendamento continue realizando as transferências e atualizando as guias com as operadoras, de forma eficaz, prática e segura, sem comprometer a programação na retomada das cirurgias após a crise da Covid-19.

4. Transferir para Home Office a equipe da central de agendamento

Alguns hospitais, visando resguardar a saúde dos seus colaboradores e pacientes, tem capacitado suas equipes para continuidade do atendimento da central de agendamento em home office.

Medidas tais como, programar a URA da central de agendamento de cirurgias, direcionando para o telefone pessoal dos atendentes, combinado com o uso de uma solução tecnológica 100% na nuvem, propicia um ambiente em que a equipe continue a rotina de forma produtiva, sem interrupções e com acesso a dados que são atualizados diretamente no sistema de gestão hospitalar, permitindo o fluxo do trabalho e a integridades das informações.

 

5. Realizar inventário de OPMEs

Manter o foco no inventário e na gestão de OPMEs, são ações relevantes que podem contribuir na identificação de problemas que impactam nas cirurgias e no fluxo de caixa da instituição. Dessa forma, é fundamental manter a regularidade desse levantamento e rever os processos desde o pedido, chegada e destino de cada material.

Acompanhar e entender detalhes de cada material, medicações e itens que são direcionados ao centro cirúrgico, requer um bom planejamento. Dessa forma, o gestor deve criar estratégias a fim de estabelecer regras e periodicidade do inventário, assim como manter a organização e alinhar o fluxo, que consiste em analisar o processo de compras, revisar cadastros, avaliar os itens pedidos, conferir materiais no recebimento, e até mesmo acompanhar detalhes de onde o pedido foi feito e pra qual procedimento foi direcionado.

6. Separar uma ala estrutural e uma equipe para o centro cirúrgico

Com o propósito de resguardar a saúde das equipes e dos pacientes com segurança dentro do centro cirúrgico é essencial ajustar procedimentos, tais como isolar uma determinada área ou até mesmo uma estrutura somente para as práticas cirúrgicas. Selecionar uma equipe exclusiva, também é uma iniciativa que contribui para segurança dos médicos, enfermeiros, pacientes e todos envolvidos no procedimento.

Determinar áreas de desinfecção, dispor de recursos vestiários, equipamentos, EPI´s (equipamentos de proteção individual) e EPCs (equipamento de proteção coletiva), assim como, capacitação da equipe, promove uma condução eficaz, segura e assertiva na dentro do “novo” ambiente cirúrgico.

7.Retomar projetos físicos

Esse momento pode ser uma ótima oportunidade para execução de projetos que estavam no papel, como planos estruturais, reformas, reparos das salas cirúrgicas, assim como, restaurações de equipamentos.

 

Esteja preparado para o dia seguinte!

Embora todo o contexto direcione um pensamento para as dificuldades, é certo que a pandemia terá um fim, e logo todos os pacientes voltarão a fazer as cirurgias e as práticas irão se recuperar em sua capacidade total e saúde do seu centro cirúrgico retomará.

Por isso, mesmo que seja bastante desafiador no momento, é fundamental planejar e manter as equipes engajadas, a fim de elencar planos que possam contribuir para o agora e na retomada.

Powered by Rock Convert